Romaneio de carga e Manifesto Eletrônico. Quais as diferenças?

romaneio de carga

Quem trabalha com logística acaba se deparando com alguns termos que, muitas vezes, se assemelham, mas que não podem ser considerados sinônimos um do outro. Entre esses termos, dois deles são bastante utilizados: Manifesto Eletrônico (MDF-e) e Romaneio de carga. Apesar de representarem procedimentos do processo de entrega e colega de mercadorias, os dois termos se referem a processos diferentes. Veja o que significa cada um.

 

Romaneio de carga

Romaneio é uma termo bastante antigo que tem origem no registro da mercadoria. Hoje em dia, se você estiver em um departamento logístico de uma empresa, com certeza, você vai ouvir termos como “gerar romaneio”, “fazer romaneio” ou “otimizar romaneio”.

Na prática, significa que os profissionais que trabalham com logística analisam dezenas de variáveis para organizar as rotas. Entre essas variáveis, estão a quantidade de veículos e de motoristas, as distâncias, as cargas, as restrições e os horários de entrega.

Otimizar os romaneios faz parte do trabalho desses profissionais. O foco é economizar tempo e dinheiro. Gerar o romaneio pode ser entendido então como o processo de geração dessas rotas, levando em conta todos os fatores citados acima. Para facilitar e automatizar todo o processo, o ideal é utilizar um bom roteirizador como o Reasy.

O site da Receita Federal traz o item Romaneio de Carga, traduzido para o inglês como Packing List. A Receita conceitua o romaneio de carga como o documento de embarque que discrimina todas as mercadorias embarcadas ou todos os componentes de uma carga em quantas partes estiver fracionada.

Em resumo, é o documento que descreve e lista as mercadorias que estão sendo transportadas. Em outras palavras, é um conjunto das Notas Fiscais que compõem a carga.

 

Manifesto Eletrônico

O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) está em vigor desde 2014 e é emitido por empresas que fazem o transporte de mercadorias. Em resumo, o MDF-e é um modelo nacional de documento fiscal eletrônico, que simplifica as obrigações acessórias dos contribuintes e permite, ao mesmo tempo, o acompanhamento em tempo real das operações comerciais pelo Fisco.

O documento veio para substituir o antigo “Manifesto de Carga Modelo 25” e o que garante a sua autenticidade é a sua assinatura digital. Um ponto importante é que  MDF-e é obrigatório para quem transporta mercadorias para fora do município ou estado, dentro de determinadas condições.

Para você ver com detalhes, baixe aqui a Cartilha Nacional do MDF-e. A não emissão do documento pode gerar multa ou até mesmo a apreensão do veículo.

Você que chegou até aqui já deve ter percebido que o MDF-e é uma obrigação fiscal, enquanto que o romaneio de carga, sob a ótica da fiscalização, tem como objetivo facilitar a identificação de localização de qualquer produto dentro de um lote, para facilitar a conferência da mercadoria, tanto no embarque quanto no desembarque. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *